sexta-feira, 1 de maio de 2009

CENTÉSIMAS VIGÉSIMAS-NONAS

Estou a trabalhar. Eu, cá metido comigo e com os meus pensamentos. São-me indiferentes os ruídos do exterior que me sujam as janelas que gostava de abrir para poder viajar e que não posso porque as companhias sonoras que vêm do exterior me estragariam a viagem. Felizmente, não sou o único que trabalha hoje. Há mais ermos a trabalhar no dia do trabalhador: nos transportes, nos hospitais, nos restaurantes. O que é trabalhar? É fazer aquilo de que se gosta. Hoje, tenho o privilégio de estar a fazer o que gosto: estou a ler, estou a escrever, estou a trabalhar, repito. Se trabalhar é fazer aquilo que se é obrigado a fazer para sobreviver então o trabalho não dignifica o homem: viabiliza-o, que é uma coisa bem diferente.

1 comentário:

Rita Vasconcellos disse...

Uma amiga uma vez disse-me:
- Só trabalha quem não sabe fazer mais nada!

... então não é que fiquei a pensar?

eh eh eh
cumprimentos

Rita V.